JUSTIFICATIVA

 

A colonização e ocupação de terras no Brasil geraram degradação dos ecossistemas florestais por todo o país. Com o atual cenário de mudanças climáticas concretizado na crise hídrica vivida pelos estados do sudeste brasileiro, bem como a necessidade legal de adequação ambiental de propriedades rurais, a atividade de restauração florestal tem ganhado cada vez mais importância, sendo crescente a demanda. Mas para que a cadeia produtiva da restauração florestal (coletores de sementes, produtores de mudas, reflorestadores e todos profissionais) se desenvolva em bases sólidas e sustentáveis, é preciso um esforço coletivo e estratégico de integração, busca da excelência e aprimoramento dos resultados.

 

Mesmo com toda a degradação afeta as florestas, muitas delas fragmentadas, os biomas brasileiros apresentam uma das maiores biodiversidades do mundo. Desta forma, é de extrema importância à conservação e a recuperação dos recursos florestais localizados em propriedades particulares como também em áreas protegidas pelo poder público. A reversão deste quadro de fragmentação é condição essencial para a manutenção e ampliação dos índices de biodiversidade.

 

As florestas ambientais possuem também um inestimável valor social e econômico na medida em que elevam o potencial turístico, reduz a erosão do solo e eleva a infiltração de água com  consequente aumento na recarga hídrica. É uma reserva estratégica de material genético e fonte de produtos para o setor farmacológico, cosméticos e de biopesticidas, além da possibilidade de uso de produtos não madeiráveis como mel, flor, sementes, látex, castanhas, dentre outros.

 

Em sua quarta edição, esse Congresso Brasileiro de Reflorestamento Ambiental pretende apresentar, debater e encaminhar propostas e soluções para diversos temas, focando na estratégias de restauração florestal.

 

Assim, pretende-se realizar esse evento com o objetivo de aprimorar, estimular e divulgar conhecimentos técnicos científicos, bem como promover o intercâmbio entre profissionais que trabalham nos diversos setores ligados ao tema como professores, pesquisadores, extensionistas, fiscais, ambientalistas, estudantes de graduação e pós-graduação, produtores rurais, empresários, agentes de desenvolvimento, entre outros na busca de soluções para os desafios existentes no setor de floresta ambientais.

 

 

 OBJETIVOS

 

- Ampliar e aprofundar o debate entre os diferentes segmentos ligados ao assunto sobre os principais problemas e alternativas de soluções para o desenvolvimento do setor.

 

- Conhecer as tecnologias e as experiências referentes à “produção de água“ pela paisagem e florestas ambientais.

 

- Conhecer as experiências de geração de renda com florestas ambientais.

 

- Conhecer o estágio atual e as novas estratégias na implantação e conservação de florestas ambientais.